Feliz Aniversário, IHG!

Paulo Roberto de Sousa Lima*

O Instituto Histórico e Geográfico de SJDR completou, no último dia primeiro de março, 49 anos de profícua existência. É herdeiro da efervescência cultural do final dos anos 60, aqui em São João promovida pelo Centro Artístico e Cultural, com o Pe. Luiz Zver e presenças marcantes de intelectuais como o pintor baiano João Quaglia. O CAC fertilizou o campo social da cidade e estimulou o surgimento de várias iniciativas que se institucionalizaram como esse Instituto, em 1970, com Fábio Nelson Guimarães, Thiago Adão Lara e outros confrades e, um pouco depois, a Academia de Letras.  Foi um período em que se forjaram, do mundo ao Brasil e deste às Minas Gerais e aqui em São João, as bases de uma modernidade inconformada, prenhe de projetos e ansiosa por novos modelos de articulação social e ávida de entendimento das questões sociais das sociedades mais amplas às comunidades mais restritas.

O IHG-SJDR sempre se orgulhou de fazer parte desse movimento modernizador que se propôs a olhar o futuro da sociedade brasileira, e da nossa cidade e Região, sem perder de vista os princípios fundantes da nossa história como nação e, principalmente, da nossa mineiridade.  Pois foi aqui, nas terras da promissão dos bandeirantes, que se firmou, de forma altaneira, a noção da alteridade mineira, com os emboabas fincando, nos contrafortes da Serra do Lenheiro e às margens do riacho, as bases da defesa da terra “dos mineiros”, das suas famílias e de toda uma religiosidade que perdura tri centenariamente na prática das irmandades.

O modernizador IHG nunca se furtou a pelear pelas causas justas. Nascido no bojo da disputa com a Igreja Católica ao se contrapor à venda dos bens da antiga capela de Matosinhos, como a portada que ora recebemos de volta no Museu de Arte Sacra, em pouco tempo debatia com a Prefeitura Municipal sobre a adequação entre arborização e urbanização na cidade. A preocupação com pensar a cidade que se transformava e a responsabilidade estatutária de zelar pelos seus bens culturais e históricos, materiais e imateriais, colocou o Instituto sempre na trincheira da defesa intransigente do patrimônio histórico e cultural do povo são-joanense.

Contou para isso com a atuação marcante de confrades e confreiras como o próprio Fabio Nelson Guimarães, um dos fundadores e primeiro presidente que lhe deu o rosto institucional que ostentou nas cinco décadas de existência. Ele que fez a indicação, pela resolução 09/1974, do Patrono do IHG, a personalidade marcante de Basílio de Magalhães. Designaram-se para patronos de cadeiras perpétuas figuras históricas como Tomé Portes Del-Rei, José Mattol, José Alvares de Oliveira, Frei José Mariano Velloso, o Alferes José Joaquim da Silva Xavier, Dona Hipólita Jacinta Teixeira de Melo, Barbara Heliodora G. da Silveira, Baptista Caetano D’Almeida e figuras importantes como Pe. José Maria Xavier, Alexina de Magalhães Pinto, Lincoln de Sousa, Augusto das Chagas Viegas, Antônio Tirado Lopes, Gentil Palhares, Matheus Salomé de Oliveira e Maestro João Cavalcante, dentre outros. Sócios fundadores ascenderam a patronos de cadeiras como o próprio Fabio Nelson Guimarães, Geraldo “Abade” Guimarães, Sebastião de Oliveira Cintra e se institucionalizou a patronesse da veneranda Francisca de Paula Jesus, a Nhá Chica.

O IHG se tornou rapidamente um centro de referência em estudos e pesquisas em vários campos do conhecimento técnico-científico e marcou seu espaço institucional com a publicação da sua própria Revista, onde a produção intelectual dos confrades e convidados foi devidamente documentada. Tornou-se parceiro de inúmeros projetos culturais que marcaram São João nas últimas décadas, como a Capital Brasileira da Cultura. Nessas oportunidades nunca se furtou a apoiar iniciativas culturais meritórias e muitos grupos artísticos hoje em atuação devem a sua criação e afirmação artística ao adequado e oportuno apoio do IHG. Nos últimos anos, em parceria com a própria Secretaria Municipal de Cultura, estabeleceu sua sede própria, a “Casa mais Antiga”, na histórica rua Santa Teresa, que também é a “Casa dos Conselhos”, como o do Patrimônio (CMPPC).

Na atualidade segue um planejamento estratégico que orienta suas ações de defesa do patrimônio histórico, cultural e ambiental são-joanense, e da Região das Vertentes, a partir de duas premissas. A primeira, de fortalecimento institucional e técnico-científico interno, restabelece a importância de os confrades produzirem e divulgarem conhecimentos, e novos conhecimentos, sobre os vários campos ou áreas de interesse do IHG e, em especial, sobre os patronos das cadeiras que assumiram. Esta estratégia se consubstancia no estímulo às defesas dos patronos e na criação, sempre que possível, de grupos de estudos e na realização de painéis e debates sobre temas relativos a esse patronato. No ano passado o foco esteve na figura do confrade Thiago Adão Lara, fundador ainda vivo e esse ano o IHG homenageia a figura do seu primeiro Presidente, Fabio Nelson Guimarães. Instalou também Grupo de Estudos tendo como tema a figura do Patrono Maior Basílio de Magalhães que, por decisão do plenário de confrades, deixou de ser patrono de cadeira perpétua e voltou a ser honrado como Patrono Maior do IHG.  Estes estudos serão apresentados em Seminário Especial a se realizar em 2020, quando o IHG festejará seu cinquentenário.

A segunda premissa estratégica, configurada numa abertura gradativa e segura para o ambiente externo, está baseada na construção de parcerias com organizações sociais de fins e objetivos compatíveis com os do IHG; com o poder público local, estadual e nacional e com a população em geral, a começar com os vizinhos da rua Santa Tereza. Da dinamização das assembleias formais à criação de eventos como o “Café com Prosa – Roda de Conversas”, a atual gestão foca seus esforços na abertura das portas da sede, a Casa mais Antiga, como se um verdadeiro Centro Cultural fosse e abriga nele iniciativas de cunho técnico, acadêmico e turístico. O Curso de Educação Patrimonial, com o Projeto de artesanato “Bordando a História”; a articulação editorial para publicação de livros, como o “Partituras Inéditas” do Maestro Abgar Tirado e o “Estórias atrás da História são-joanense” em que se documenta os depoimentos colhidos nos eventos do Café com Prosa até o patrocínio de eventos como o “Canta Del-Rei – 9º Encontro de Corais” e outros em articulação com a Secretária Municipal de Cultura, são exemplos dessa disposição de atuar em parcerias e reposicionar o nosso sodalício como uma ferramenta social efetiva à disposição da sociedade são-joanense, já que de Utilidade Pública.

O IHG-SJDR demonstra assim, por todas as formas cabíveis e possíveis, dados os parcos, mas importantes, recursos de que dispõe, que sabe honrar seus compromissos, a começar pelas suas próprias tradições de órgão consultivo da Prefeitura e, por isso, se credencia a assumir papéis cada vez mais significativos no presente e no futuro histórico e cultural dessa “muy digna e fiel cidade de São João Del-Rei”. Nossos parabéns a todos que contribuíram nessa caminhada histórica de sucesso, um verdadeiro “case”, que é o IHG-SJDR.

(*) Sociólogo, escritor, membro – Cadeira 02,  Patrono: José Mattol –  e Presidente do IHG-SJDR.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *