Memórias do V Café com Prosa 2019

Tema: Festas Populares e Religiosidade: Festas Juninas em São João del-Rei e as Matinês, Bailes e Lazer: A vida social e amorosa em tempos antigos

Para encerrar o 1º semestre de atividades do Café com Prosa, uma animada festa junina reuniu a comunidade com muita animação – Foto: Antonio Celso Toco / Divulgação

O Instituto Histórico e Geográfico de São João del-Rei (IHG-SJDR) realizou em 4 de julho a quinta edição, em 2019, do evento denominado “Café com Prosa: Roda de Conversa”. Dedicado ao tema “Festas Populares e Religiosidade: Festas Juninas em São João del-Rei” e às “Matinês, Bailes e Lazer – A vida social e amorosa em tempos antigos” foi coordenado por esta Presidência e realizado na Rua Santa Teresa, no espaço em frente a sede do IHG.. Estiveram presentes o presidente Paulo Roberto de Sousa Lima, a Vice-Presidente Maria Lucia Monteiro Guimarães, que coordenou, e os confrades José Alberto Ferreira e Antônio Gaio Sobrinho e inúmeros convidados como o Secretários Marcus Fróis, o vereador Professor Leonardo e esposa; Gisele Boucherville e amigos, bem como famílias de moradores da rua Santa Tereza, as bordadeiras do programa de Educação Patrimonial em seu projeto “Bordando a História”, do Instituto; Marcela Paiva e seu grupo de crianças, a equipe técnica composta pela jornalista Carla Gomes, o design gráfico Flávio Lobosque e o fotógrafo Antônio Celso Toco. O evento também contou com a presença de parceiros do Grupo Lendas São-joanenses e moradores da vizinhança como da Santo Elias e do Largo da Cruz, como o amigo Edmar Batista.

Antes do início da festa os moradores ajudaram a enfeitar a rua com bandeirolas e estandartes que deram um toque especial no espaço. Os bordados, do programa do IHG, feitos especialmente para o evento foi outro destaque e encantaram às pessoas que apreciaram a delicadeza e riqueza de detalhes desse trabalho artesanal.

A vice-presidente Lucinha Guimarães abriu o evento em nome do Instituto, destacando a importância das parcerias dos moradores e dos profissionais que se mobilizaram para fazer a festa. Logo chegou o sanfoneiro Tião do Fole com seus amigos na zabumba e no violão e animou os presentes a dançarem ao som de músicas julinas.

Os músicos encerravam a performance e quando os artistas do Grupo Lendas São-Joanenses ocuparam o espaço, agora cercado pelas pessoas como um Teatro de Arena, e apresentaram um quadro cômico com personagens de um Padre e uma fiel Bisbilhoteira. Lendas do livro “Contam que…”, de Lincoln de Souza, foram totalmente adaptadas para contar histórias de festas e “causos” que aconteciam na casa considerada a mais antiga de São João del-Rei, que já foi residência do confrade fundador Thiago Adão Lara, sobre quem se falou um pouco, e que hoje é sede desse Instituto Histórico e Geográfico e abriga o Conselhos Municipais de Preservação do Patrimônio Cultural e de Turismo da cidade. Durante quase o tempo todo da apresentação fizeram os presentes rir e reviver histórias contadas pelos e sobre antigos moradores do local.

O encontro prosseguiu com a apresentação das crianças do projeto Anjos da Luz, desenvolvido por Marcela Paiva e seu esposo, e que de maneira descontraída declamaram parlendas, enquanto Lucinha Guimarães já introduzia a presença do sanfoneiro Totonho do Zotti que junto com seus amigos pafestssaram animar a festa do casamento da roça.

O sanfoneiro foi buscar a noiva em sua residência no alto da rua Santa Tereza e, em cortejo, desceram cantando a música “João, Antônio e Pedro”, música junina típica que foi eternizada pela voz de Dalva de Oliveira. Com muita confusão e trapalhada o casamento encerrou com a valsa dos noivos (e todos moradores da rua que conseguiram…) e o momento de jogar o buquê foi a alegria da garotada que o disputava em uma brincadeira sem fim.

Assim que encerrou a valsa, Marcela Paiva e marido puxaram os presentes para participar de uma quadrilha improvisada. E, ao som da sanfona, dezenas dos presentes fizeram a grande roda e se divertiram em um balancê e anarriê de alegria. Entre sorrisos e muita dança típica, ao final da quadrilha, os quase 100 participantes foram convidados para tomarem um belo café junino mineiro, com canjica, caldos, bolos, doces e biscoitos, tudo ao som da sanfona do Totonho do Zotti e seus amigos. Lá pelas 22 horas a Lucinha Guimarães declarou encerrada a festança do IHG e vizinhança, agradeceu a honrosa presença de todos e convidou os presentes a ajudarem a desmontar o lindo cenário típico da festa, agora eternizado nas fotos do Toco. Isso foi feito em coletivo entre risadas, solfejos musicais e muita história pra relembrar até a próxima festa, já marcada, e todos a caráter, para o ano que vem. Sintam-se todos desde já convidados.

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *